2020 Letônia – Kegums – 4ª etapa – MXGP de Riga

2020 Letônia – Kegums – 4ª etapa – MXGP de Riga

Surpresas de Kegums: Antônio Cairoli de volta ao topo entre e Jago Geerts mais perto da liderança na MX2

E a maratona do Mundial de Motocross na Letônia continua: na última quarta-feira (12), o circuito de Kegums novamente foi palco da competição. A quarta rodada da temporada trouxe novas surpresas e batalhas épicas entre os ponteiros da MXGP e MX2. 

MXGP

A primeira bateria já começou com uma boa dose de drama. Logo na primeira curva vários pilotos se envolveram em uma queda, entre os azarados Arminas Jasikonis, Tim Gajser e Jeffrey Herlings, que competiram no modo tudo ou nada para salvar pontos. Quem se livrou do enrosco e saiu na frente foi Jorge Prado, seguido de Tony Cairoli e Jeremy Van Horebeek. 

Cairoli não economizou energia para assumir a liderança com consistência e a má sorte chegou para Prado também, que danificou a roda dianteira e teve que recomeçar a prova da 29º colocação. Pouco atrás, a batalha ficou entre Romain Febvre, Herlings, Jeremy Seewer e Clement Desalle. Febvre e Herlings conseguiram avançar e ainda de quebra empurram Seewer para a quarta colocação e Horebeek para a quinta. Desalle fechou em sexto, à frente de Coldenhoff. 

Tim Gajser


O desespero para recuperar posições tirou Gasjer da prova, o piloto sofreu um forte tombo e não pode terminar a corrida.

Na segunda bateria, os fãs puderam ver os líderes com mais sede de pódio, enquanto Jasikonis, Herlings e cia não mediram esforços para recuperar a etapa. Ivo Monticelli fez o Holeshot, seguido de Cairoli, Herlings e Jasikonis. Com os ponteiros ganhando terreno, Febvre e Gajser bateram em uma das curvas, com Febvre indo ao chão e perdendo as esperanças por completar o dia dentro do top 3.

Arminas Jasikonis


A briga pela vitória ficou entre Cairoli, Herlings e Jasikonis, com direito a final inesperado. Herlings ganhou terreno na frente, enquanto Cairoili e Jasikonis se intercalaram na vice-liderança. A duas voltas do final, o holandês da KTM foi ao chão e Cairoli não conseguiu desviar, caindo também. Ponto para Jasikonis que faturou sua primeira vitória na competição!

Jeremy Seewer também tirou vantagem da situação de assumiu o segundo ponto, com Herlings em terceiro à frente de Cairoli. Gajser completou em quinto, com Clement Desalle e Ivo Monticelli atrás. 

Na somatória, Cairoli conquistou o 90º GP, com Jeremy Seewer em segundo e Jeffrey Herlings em terceiro.

Agora confira detalhes da prova, nas palavras dos próprios pilotos:

Antônio Cairoli (KTM)

Tony Cairoli


“Estou muito feliz por estar de volta ao pódio e, claro, com vitória. Já que domingo passado não foi meu dia, com toda certeza. Depois da segunda prova, achei que tinha machucado meu joelho de novo, foi ao médico ontem para drenar e colocar anti inflamatório, por causa do inchaço. Hoje não me meti em problemas e consegui encontrar um bom ritmo, pilotar suavemente. Na segunda bateria, tive uma boa largada também, mas o Jeffrey (Herlings) e o Jasikonis estavam rápidos e me passaram. Tentei acompanhar para segurar minha posição, eu sabia que se não errasse, podia forçar um pouco. Então, nas últimas voltas, vi bandeiras amarelas e cai com o Herlings também. Como eu tinha uma certa vantagem, voltei para ver o que ia acontecer. Mas eu já estava feliz com as melhorias em relação a última etapa”.

Romain Febvre (Kawasaki)


Romain Febvre


“De manhã a pista estava dura, então não quis arriscar e puxar muito, mesmo em 12º na classificatória, estava a 1,5 segundo da pole. A primeira largada foi estranha, já que o (Jorge) Prado cruzou na frente e nos obrigou a cortar o gás na primeira curva, se não fizéssemos isso, todos teríamos caído. Nas duas baterias, as minhas largadas foram medianas, mas na primeira corrida tive um bom ritmo e consegui o segundo lugar, foi um ótimo resultado e fiquei confiante para a próxima. De novo, o Prado largou de um jeito estranho. Fiz uma boa primeira volta, para passar vários pilotos, mas na volta seguinte, Gajser me acertou e eu caí. O pelotão ainda estava muito próximo, então perdi muitas posições. Voltei para o 11º, é uma pena ter perdido a vitória do GP por conta desta queda, pois estava rápido nas duas corridas”.

Jeremy Seewer (Yamaha)

“Tivemos mais uma boa prova, como no domingo e estou super feliz porque terminei bem. Tive boas brigas com os ponteiros e me recuperei de largadas ruins. Me sinto ótimo, por um lado nas duas baterias estive próximo da vitória e por outro estou feliz com os resultados, sem erros. Aqui a pista é complicada, então é fácil errar. Estou próximo para a próxima prova”. 

Jeffrey Herlings (KTM)

Jeffrey Herlings


“Na primeira bateria, me enrolei com uma moto no chão e tive que reagrupar, sai da última posição, como na segunda bateria do domingo. Consegui chegar até a terceira posição, mas não dei conta de passar Febvre. Então na segunda prova, tive uma ótima largada, era o que eu queria depois de tantos começos ruins. Me sai bem melhor, ultrapassei Tony (Cairoli) na segunda ou na terceira volta e liderei até próximo do final, quando minha roda dianteira escorregou. Foi um erro, um erro estranho, que geralmente não cometo, mas ainda deu para terminar em terceiro. Já oedi desculpas para o Tony e peço de novo, porque ele poderia ter caído e seria minha culpa, mas estamos no pódio e ainda lideramos o campeonato”. 

Clement Desalle (Kawasaki)

Clement Desalle


“Foi um dia decente. Era eu mesmo na moto hoje! Escolhi um bom lugar no gate, a primeira largada foi OK e então cometi um pequeno erro, perdi algumas posições. De oitavo, voltei para sexto. Minha segunda largada foi parecida, mas de novo um erro na primeira volta. Mas foi minha melhor bateria desde que chegamos, tive um ritmo bom, fiquei confortável e terminei o dia com dois top 6, então estou feliz”.

MX2


Largada MX2
A prova das 250cc não foi menos agitada. Tom Vialle faturou o holeshot, com Jago Geerts logo atrás. Roan Van de Moosdijk e Mathys Boisrame não perderam tempo e entraram na briga pela ponta. Na sétima volta, Geerts consolidou sua liderança abrindo vantagem do pelotão e em seguida Moosdijk conseguiu ultrapassar Vialle e depois ainda empurrou Boisrame para trás, ficando com o segundo lugar. Thomas Kjer Olsen também ameaçou a quarta posição de Vialle, mas o francês defendeu o posto até a linha de chegada.


Roan Van de Moosdijk e Mathys Boisrame
Na segunda bateria, Geerts começou com o pé direito e o holeshot novamente. Moosdijk em segundo e Vialle em terceiro. Não demorou para Boisrame entrar no pelotão, ultrapassar Vialle novamente e caçar o companheiro de equipe Moosdijk – que não abriu espaço para erros e segurou a segunda colocação. 

O pódio da etapa ficou com Jago Geerts no topo e a dupla da Kawasaki, Moosdijk e Boisrame, em segundo e terceiro. Vialle fechou em quarto, mas ainda segura a liderança da categoria no campeonato, oito pontos a frente de Geerts.

Jago Geerts (Yamaha)


Jago Geerts
“Foi um ótimo dia para mim. Tive duas boas largadas e consegui meu primeiro holeshot do ano, então estou muito feliz. Minha pilotagem foi boa durante todo o dia e agora estou ansioso para a próxima etapa, para chegar um pouco mais perto da liderança do campeonato. Mas vamos ver, uma corrida de cada vez.”

Roan van de Moosdijk (Kawasaki)

“Mais um pódio duplo para mim e para Mathys (Boisrame)! Consegui a primeira pole position da minha carreira no Mundial, duas boas largadas e duas brigas divertidas com o Mathys. Tive um bom ritmo na segunda prova e nós dois fomos para cima do Geerts. Em certa altura, pensei que poderia ir insistir para brigar pela vitória, mas era muito arriscado. Perdi minha primeira vitória, mas logo vamos conseguir uma”.

Mathys Boisrame (Kawasaki)

“Foi um ótimo dia para mim. Segundo na qualificatória, depois dois terceiros lugares e um resultado final no pódio. Na segunda bateria, tive uma batalha boa com o Roan (van de Moosdijk). Tentei passar ele nas duas provas, mas estávamos muito equilibrados e nessa pista é muito difícil ultrapassar. No final comecei a me atrapalhar, o que me custou muita energia então era mais esperto da minha parte segurar o resultado no pódio. A pista estava difícil, mas gosto disso, quanto mais acidentada, melhor”.

Resultado Geral da Etapa

P#MXGPPaísMotoRace1Race2Pts
1222Cairoli, AntonioITAKTM251843
291Seewer, JeremySUIYAM182240
384Herlings, JeffreyNEDKTM202040
427Jasikonis, ArminasLTUHUS132538
53Febvre, RomainFRAKAW221032
625Desalle, ClementBELKAW151530
7128Monticelli, IvoITAGAS101424
84Tonus, ArnaudSUIYAM121123
989Van Horebeek, JeremyBELHON16723
1021Paulin, GautierFRAYAM81321
1110Vlaanderen, CalvinNEDYAM61218
12911Tixier, JordiFRAKTM9918
13243Gajser, TimSLOHON01616
14189Bogers, BrianNEDKTM11415
15259Coldenhoff, GlennNEDGAS14014
16747Cervellin, MicheleITAYAM7512
1761Prado, JorgeESPKTM088
18116Sabulis, KarlisLATKTM538
1943Evans, MitchellAUSHON066
206Paturel, BenoitFRAHON404
21811Sterry, AdamGBRKTM303
2292Guillod, ValentinSUIHON022
23297Gole, AntonSWEHON112
24152Petrov, PetarBULKTM202
P#MX2PaísMotoRace1Race2Pts
1193Geerts, JagoBELYAM252550
239Van De Moosdijk, RoanNEDKAW222244
3172Boisrame, MathysFRAKAW202040
428Vialle, TomFRAKTM181836
5959Renaux, MaximeFRAYAM141630
614Beaton, JedAUSHUS131528
711Haarup, MikkelDENKAW151328
870Fernandez, RubenESPYAM91423
9516Laengenfelder, SimonGERGAS12921
10161Östlund, AlvinSWEHON81119
11105Genot, CyrilBELYAM10818
12426Mewse, ConradGBRKTM71017
1319Olsen, Thomas KjerDENHUS16016
14919Watson, BenGBRYAM01212
15102Sikyna, RichardSVKKTM5712
16326Gilbert, JoshGBRHUS6511
17118Rubini, StephenFRAHON11011
1875Roosiorg, HardiESTKTM167
1947Malkiewicz, BaileyAUSHON246
20711Hofer, ReneAUTKTM404
21224Teresak, JakubCZEKTM033
22303Forato, AlbertoITAHUS303
23783Toriani, EnzoFRAHUS022
24115Dickinson, AshtonGBRKTM011

Classificação Geral

MXGP

1. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 170 Pontos
2. Tim Gajser (SLO, HON), 142
3. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 129
4. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 121
5. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 120
6. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 117
7. Clement Desalle (BEL, KAW), 110
8. Gautier Paulin (FRA, YAM), 101
9. Jorge Prado (ESP, KTM), 82
10. Jeremy Van Horebeek (BEL, HON), 73

MX2
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 170 pontos
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 162
3. Jed Beaton (AUS, HUS), 123
4. Maxime Renaux (FRA, YAM), 116
5. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 115
6. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 110
7. Mikkel Haarup (DEN, KAW), 92
8. Ben Watson (GBR, YAM), 91
9. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 89
10. Rene Hofer (AUT, KTM), 73

Fonte: MotoX