Rally Rota Sul honra a expectativa e consagra os campeões do ano numa prova espetacular

Rally Rota Sul honra a expectativa e consagra os campeões do ano numa prova espetacular


O Rally Rota Sul, última etapa do Sertões Series 2019, de volta ao mapa off-road após 15 anos, foi tudo o que se esperava dele. Uma prova ultra rápida, com paisagens incríveis e desafios de navegação. Os vencedores, Gregório Casaleni nas Motos, Gabriel Varela/Eduardo Shiga nos UTVs e Denisio Casarini Filho/Luis Eckel nos Carros podem se orgulhar muito do troféu que receberam.

Pelotas foi a cidade anfitriã. A prova passou ainda por Santa Vitória do Palmar, Rio Grande, São José do Norte, Tavares, Mostardas, Capivari do Sul, Palmares do Sul e a chegada em Porto Alegre.

Nos carros a festa foi dos “Buggões”, produzidos no Brasil pela Giaffone Racing, que ocuparam as cinco primeiras posições da classificação. As máquinas com tração 4X2 aproveitaram os longos trechos de praia e o relevo mutante da areia para mostrar sua versatilidade. Mostraram também, pela primeira vez, enorme resistência mecânica e com isso dominaram o pódio numa disputa muito apertada. A dupla Denisio Casarini Filho/Luis Eckel venceu com o tempo de 8h57m19. José Helio e Marcelo Haseyama (Java Buggy) fizeram a escolta, em segundo lugar, a 29 segundos, seguido em terceiro por Fabrício Bianchini/Marcos Finato (Buggy Caveira), a 46s. O percurso total foi de 1.100km, dos quais 725km cronometrados.

Por conta das dificuldades de navegação da última etapa, o resultado final foi objeto de longas discussões e muitas penalidades. A confirmação final só aconteceu às 19h o que é absolutamente normal nas provas de longo percurso.

Nas Motos, a Honda enfrentou uma concorrência duríssima da Yamaha em todo o Rota Sul. Mesmo após 725 km de trechos cronometrados a diferença entre os dois primeiros colocados na geral ficou em 14 segundos e no primeiro dia de prova essa diferença ficou em 19s entre os três primeiros, para especiais com cerca de 5h de duração. Prevaleceu a equipe mais poderosa, já que a Honda trouxe quatro pilotos para o Rota Sul e a Yamaha tinha dois. Ficou claro porém que o equipamento das duas marcas se equivalem em trechos de altíssima velocidade. O torcedores mais fanáticos do motociclismo foram presenteados com uma exibição de gala de pilotos Top Gun da Honda, Jean Azevedo, Tunico Maciel, Julio Zavatti e Gregório Caselani, além de Ricardo Martins da Yamaha.

Nos UTVs a vitória de Gabriel Varela/Eduardo Shiga veio por conta do repeteco. Ele conduziu no segundo dia exatamente como tinha feito no primeiro: sem nenhum erro, num ritmo que misturou equilibro e alta velocidade. Reinaldo Varela, pai de Gabriel e campeão mundial, famoso pelas brincadeiras que faz com os filhos a cada disputa, foi o primeiro a reconhecer o show do filho. Gabriel guiou muito. Vitória sem contestações.

As dificuldades de navegação e relevo oferecidas pela prova acabaram resultando em pelo menos dois acidentes, além de quedas nas motos. Os sistemas de segurança dos carros e de resgate da prova funcionaram como deveriam e mesmo os competidores removidos para um hospital de Porto Alegre, de acordo com o protocolo de segurança da prova, passam bem, em pleno processo de recuperação.

Contexto: O Sertões Series 2019 termina com uma prova de altíssimo nível técnico. A última etapa do Rota Sul ofereceu dificuldades de logística, navegação e velocidade. Pilotos, navegadores e equipamentos foram testados ao limite extremo como normalmente acontece nas provas internacionais. O dia dos competidores começou às 4h30 da manhã no sábado. A imagem do ano pode ter sido a foto aérea que mostra toda família Sertões, carros, motos, UTVs, pilotos numa travessia de balsa rumo à última especial. A imagem representa a alma das provas do universo Sertões no Brasil. São todos rivais e adversários mas ao mesmo tempo todos se sentem parte de uma mesma família. O roteiro desenhado pelo diretor de prova Du Sachs para a última especial foi primoroso. Além do piso de areia, o relevo da praia e o vento que jogava água do mar na cara de todo mundo desafiaram o espírito de aventura dos competidores. Os desafios de navegação foram intensos e muita gente boa e rápida acabou se perdendo nos detalhes. Nunca é demais lembrar que pilotos e navegadores precisam encontrar seus caminhos navegando e correndo ao mesmo tempo.

Aspas:

“O Rota Sul foi um sucesso. Parabéns à todos. Terminamos o ano com a energia e a poeira lá em cima e temos um programa incrível para 2020”, diz Joaquim Monteiro, CEO da Dunas, a empresa que organiza o Sertões.

Vencedor Motos: “Foi a primeira vez que eu corri em casa. Comecei no Cross-Country há seis anos e o Rota Sul ficou ausente nos últimos 15 anos. Subir na rampa da vitória em Porto Alegre foi uma emoção muito especial. A prova foi dificílima e muito disputada, consegui assumir a ponta no finalzinho. Fui buscar”, disse Gregório Caselani, natural de Caxias do Sul (RS).

Vencedor UTVs: “Domingo é aniversário da minha mãe. Essa vitória fica de presente”, Gabriel Varela após ter derrotado o pai, Reinaldo.

Vencedor carros: “Corro rali desde 2013, mas sempre de UTV. Esse foi o meu primeiro ano nos Carros e nosso bugão, um carro fabricado esse ano, é tudo novidade. Estamos em plena evolução e ainda temos muito a melhorar. O Rota Sul, por ser de alta velocidade se encaixou bem às características do buggy, que tem muita estabilidade em alta. Para ser franco, essa é a segunda corrida completa que fazemos e conseguir a primeira vitória na geral nos enche de satisfação. Nossa equipe é bem família, todos se dedicam muito. Essa vitória é de pelo menos 50 pessoas e veio para recarregar as energias para o próximo ano”, disse Denisio Casarini.

Fonte: Motoraid